Versículos sobre Ilusão – Bíblia

Há certas coisas que fazemos na vida que as vezes pensamos que é importante ou que é bom, mas depois descobrimos que não passa apenas de uma ilusão. Tantas pessoas que sonham com fama, outros em ter muito dinheiro, entre outras coisas. Mas tudo isso é ilusão, pois o dinheiro não tem poder de trazer nem uma felicidade, muito menos saúde, somente Deus é que nos ajuda em tudo que precisamos. Apesar disso, nenhuma riqueza aqui na terra entrarão no céu, pois Deus quer somente os filhos escolhidos dele, para morar em seu Reino.

Por tanto, não gaste seu tempo pensando em riquezas, ou de trabalhar muito para ficar rico, ou até mesmo pensar em aproveitar mais a vida, à exemplo de se relacionar com muitas pessoas, de curtir festas mundanas, etc. Saiba que tudo isso é ilusão. Ao invés de se preocupar com muitas coisas, dedique seu tempo mais a Deus. Se for de se preocupar, se preocupe em sua alma ser salva, esforçando para agradar a Deus. Se você se preocupar com problemas pessoais, será apenas ilusão, pois não vai dar em nada, ao contrário disso, dedique mais o Senhor, orando e buscando a ele, certamente, bons resultados virão aparecer.

Vamos aos versículos abaixo que falam sobre ilusão:

Jó 41:9 – “Esperar vencê-lo é ilusão; apenas vê-lo já é assustador”

Provérbios 21:6 – “A fortuna obtida com língua mentirosa é ilusão fugidia e armadilha mortal”.

Jó 7:3 – “assim me deram meses de ilusão e noites de desgraça me foram destinadas”.

Confira outros versículos maiores que diz na Bíblia “Tudo é ilusão”:

Eclesiastes 1:1-6 – “As palavras do mestre, filho de Davi, rei em Jerusalém: “Que grande inutilidade!”, diz o mestre. “Que grande inutilidade! Nada faz sentido!” O que o homem ganha com todo o seu trabalho em que tanto se esforça debaixo do sol? Gerações vêm e gerações vão, mas a terra permanece para sempre. O sol se levanta e o sol se põe e depressa volta ao lugar de onde se levanta. O vento sopra para o sul e vira para o norte; dá voltas e voltas, seguindo sempre o seu curso”.

Eclesiastes 1:7-10 – “Todos os rios vão para o mar, contudo, o mar nunca se enche; ainda que sempre corram para lá, para lá voltam a correr. Todas as coisas trazem canseira. O homem não é capaz de descrevê-las; os olhos nunca se saciam de ver, nem os ouvidos de ouvir. O que foi tornará a ser, o que foi feito se fará novamente; não há nada novo debaixo do sol. Haverá algo de que se possa dizer: “Veja! Isto é novo!”? Não! Já existiu há muito tempo, bem antes da nossa época”.

Eclesiastes 1:11-15 – “Ninguém se lembra dos que viveram na antiguidade, e aqueles que ainda virão tampouco serão lembrados pelos que vierem depois deles. Eu, o mestre, fui rei de Israel em Jerusa­lém. Dediquei-me a investigar e a usar a sabe­doria para explorar tudo o que é feito debaixo do céu. Que fardo pesado Deus pôs sobre os ho­mens! Tenho visto tudo o que é feito debaixo do sol; tudo é inútil, é correr atrás do vento! O que é torto não pode ser endireitado; o que está faltando não pode ser contado”.

Eclesiastes 1:16-18 – “Fiquei pensando: Eu me tornei famoso e ultrapassei em sabedoria todos os que governaram Jerusalém antes de mim; de fato adquiri muita sabedoria e conhecimento. Por isso me esforcei para compreender a sabedoria, bem como a loucura e a insensatez, mas aprendi que isso também é correr atrás do vento. Pois quanto maior a sabedoria, maior o sofrimento; e quanto maior o conhecimento, maior o desgosto”.

Eclesiastes 2:1-6 – “Eu disse a mim mesmo: Venha. Experimente a alegria. Descubra as coisas boas da vida! Mas isso também se revelou inútil. Concluí que o rir é loucura, e a alegria de nada vale. Decidi entregar-me ao vinho e à extrava­gância, mantendo, porém, a mente orientada pela sabedoria. Eu queria saber o que vale a pena, debaixo do céu, nos poucos dias da vida humana. Lancei-me a grandes projetos: construí casas e plantei vinhas para mim. Fiz jardins e pomares e neles plantei todo tipo de árvore frutífera. Construí também reservatórios para irrigar os meus bosques verdejantes”.

Eclesiastes 2:7-11 – “Com­prei escravos e escravas e tive escravos que nasceram em minha casa. Além disso, tive também mais bois e ovelhas do que todos os que viveram antes de mim em Jerusalém. Ajun­tei para mim prata e ouro, tesouros de reis e de províncias. Servi-me de cantores e cantoras, e também de um harém, as delícias dos homens. Tornei-me mais famoso e poderoso do que todos os que viveram em Jerusalém antes de mim, conservan­do comigo a minha sabedoria. Não me neguei nada que os meus olhos desejaram; não me recusei a dar prazer algum ao meu coração. Na verdade, eu me alegrei em todo o meu trabalho; essa foi a recompensa de todo o meu esforço”.

Eclesiastes 2:11-14 – “Contudo, quando avaliei tudo o que as minhas mãos haviam feito e o trabalho que eu tanto me esforçara para realizar, percebi que tudo foi inútil, foi correr atrás do vento; não há nenhum proveito no que se faz debaixo do sol. Então passei a refletir na sabedoria, na loucura e na insensatez. O que pode fazer o sucessor do rei, a não ser repetir o que já foi feito? Percebi que a sabedoria é melhor que a insensatez, assim como a luz é melhor do que as trevas. O homem sábio tem olhos que enxergam, mas o tolo anda nas trevas; todavia, percebi
que ambos têm o mesmo destino”.

Eclesiastes 2:15-19 – “Aí fiquei pensando: O que acontece ao tolo também me acontecerá. Que proveito eu tive em ser sábio? Então eu disse a mim mesmo: Isso não faz o menor sentido! Nem o sábio, nem o tolo serão lembrados para sempre; nos dias futuros ambos serão esquecidos. Como pode o sábio morrer como o tolo morre? Por isso desprezei a vida, pois o trabalho que se faz debaixo do sol pareceu-me muito pesado. Tudo era inútil, era correr atrás do vento. Desprezei todas as coisas pelas quais eu tanto me esforçara debaixo do sol, pois terei que deixá-las para aquele que me suceder. E quem pode dizer se ele será sábio ou tolo? Todavia, terá domínio sobre tudo o que realizei com o meu trabalho e com a minha sabedoria debaixo do sol. Isso também não faz sentido”.

Eclesiastes 2:20-26 – “Cheguei ao ponto de me desesperar por todo o trabalho no qual tanto me esforcei debaixo do sol. Pois um homem pode realizar o seu traba­lho com sabedoria, conhecimento e habilidade, mas terá que deixar tudo o que possui como herança para alguém que não se esforçou por aquilo. Isso também é um absurdo e uma grande injustiça. Que proveito tem um homem de todo o esforço e de toda a ansiedade com que trabalha debaixo do sol? Durante toda a sua vida, seu trabalho é pura dor e tristeza; mesmo à noite a sua mente não descansa. Isso também é absurdo. Para o homem não existe nada melhor do que comer, beber e encontrar prazer em seu trabalho. E vi que isso também vem da mão de Deus. E quem aproveitou melhor as comidas e os prazeres do que eu? Ao homem que o agrada, Deus dá sabedoria, conhe­cimento e felicidade. Quanto ao pecador, Deus o encarrega de ajuntar e armazenar riquezas para entregá-las a quem o agrada. Isso também é inútil, é correr atrás do vento”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *